terça-feira, fevereiro 04, 2014

O INBENEFÍCIO DO INFRACTOR

Não é que a actuação dos partidos do governo me encha as medidas. Mas neste momento histórico, em que foi preciso salvar Portugal da Bancarrota a que a ideologia socialista e a incompetència governativa dos socialistas e sociais democratas conduziram Portugal na proporção de 85%-15% a favor dos socialistas, é preciso não beneficiar o infractor. E beneficiar o infractor é votar no Partido Socialista que, depois de provocar a bancarrota com gasto infantil e indiscriminado dos dinheiros publicos já avisou que quando voltar ao poder vai revogar todas as leis que o actual governo promoveu visando reduzir a despesa pública. Como diz o deputado Galamba do Partido Socialista "se tivesse que escolher entre cortar na despesa ou subir impostos, (...) optaria por aumentar o IRS". Nestes ultimos 2 anos o Povo Português aprendeu mais sobre Política e Finanças Públicas do que durante os restantes 38 anos que decorreram desde 1974. É por isso que o Partido Socialista não vai à frente nas sondagens, apesar do actual governo ter colocado em campo a política mais restritiva de direitos sociais e económicos de que há memória em Portugal. Aplicando a maior carga fiscal de sempre, o actual Governo fez tudo para perder eleições. Mas a maioria do Povo Português percebeu que, nesta fase, é preciso que os Homens de Boa Vontade façam sacrifícios pessoais para salvar Portugal. Os Socialistas só prometem gastar aos milhões o dinheiro que o Povo tem que pagar com os seus impostos. É por isso que o resultado desta sondagem não surpreende, ainda mais sendo simultanea com a Acção em Tribunal que alguns deputados socialistas intentaram para impedir a realização de entre 36 e 50 mihões de euros com a venda de uma colecção de quadros de Miró, cuja estética modernista e surrealista está longe de merecer o consenso ou a admiração generalizada dos cidadãos. Com o Partido Socialista a mandar, sabe-se que o dinheiro dos impostos pagos pelos portugueses é como água na areia seca. É por isso que o Partido Socialista vai pagar com língua de palmo eleitoral dois erros consecutivos: o ter conduzido Portugal à Bancarrota e o nada ter feito para ajudar a salvar Portugal. E sempre com a arrogancia de quem não tem nada que pedir desculpa. Repito: estou longe de ser um adepto incondicional do actual governo. Mas tenho o dever patriótico de apoiar aqueles que bem se vê estarem a tentar salvar a Nação, goste muito ou goste pouco deles. Depois de salva a Pátria, logo se verá. Mas por agora, apoiar o Primeiro Ministro Passos Coelho é uma questão de patriotismo. Porque patriota é quem coloca o bem geral à frente do bem particular

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home