terça-feira, janeiro 07, 2014

BENFIQUISMO

Depois de ser apanhado com as calças na mão, o benfiquismo cai em si e  ensaia a desculpa saloia do costume que contraria o instinto e o impulso genético que todos conhecemos. 
Pelo meu lado, até nem me incomodava  que Eusébio viesse  a ser sepultado no PANTEÃO NACIONAL. Tinha tudo a favor. O seu único defeito é levar  agarrado ao caixão este benfiquismo  sectário e rasca. Sempre corrosivo da paz e da concórdia. Haverá sempre o perigo de os benfiquistas vandalizarem  os restantes túmulos, com  a mesma falta de respeito  com que pisaram os túmulos dos outros mortos no Cemitério do Lumiar. Não custa imaginar o que acontecerá ao túmulo de Aquilino se alguém lançar o boato de que era sportinguista. Sim, eu sei que ainda existem benfiquistas para quem, pela respectiva vida recta e séria, estas palavras são injustas. Mas certamente serão os primeiros a perceber que "isto" está a passar todas as marcas. Há pessoas que não podem frequentar certos lugares. Nem é pelas pessoas em si, mas pela falta de modos e de aprumo cívico da restante família. 
Prestei a minha homenagem a Eusébio aplaudindo-o publicamente quando o féretro passou na rua mesmo debaixo da janela do meu Escritório. Mas acabou. Todo e qualquer gesto de homenagem que eu pudesse a partir de agora dirigir à memória de Eusébio será abusivamente apropriado pelo benfiquismo. E quem condiciona os comportamentos do benfiquismo actual é gente completamente rasca e imerecedoura. 

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Agnelo Figueiredo said...

Muito bem escrito

22:27  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home