quarta-feira, agosto 14, 2013

A BIOMETRICIDADE DA TRETA

Seja na subida para o Alvão, seja na descida para Bilhó, seja na subida da Caniçada, seja no plano para a Anadia, o coração do Márcio bate sempre a 172. A RTP apresentou esta novidade, a de revelar em directo os parametros biometricos de alguns atletas. Para lá de considerarmos que é um disparate desportivo deixar que os adversários saibam em cada momento a medida do "estar à rasca" que cada coração apresenta, a verdade é que os dados transmitidos em directo não correspondem ao que se está a ver na estrada. A descer para o Bilhó, a 80 Km/hora sem pedalar, o coração do Márcio não batia seguramente no mesmo ritmo desesperado que  apresentava  a subir o empedrado de Borbela. Num plano até se viu o atleta a conversar com um colega de equipa. Com o coração a 172 ele estaria acima do limiar, logo só conseguiria falar na expiração.  

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Agnelo Figueiredo said...

O meu filho diz que num contra-relógio plano o ritmo cardíaco não varia. E que, quando varia, é para cair a pique significando que o ciclista deu o berro.

01:57  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home