segunda-feira, Novembro 26, 2012

ITER, ITINERIS, O CAMINHO



A peregrinação é dos comportamentos de tipo religioso mais antigos no homem. Antes das demandas cristãs pelas relíquias, já os homens faziam viagens para visitar templos animistas, templos de oráculos, locais onde fosse mais provável a presença da divindade. Muitas vezes "a viagem" era requisito de ritual da passagem ao estatuto de caçador ou de guerreiro. O essencial é o 'iter', o caminho. A purificação pelo esforço e pela dedicação desse esforço a uma intenção superior. E o teste público de coragem, de arrojo e de temeridade. Ou seja, a simulação ritualizada do percurso da vida que conduz ao seu fim último imaterial e eterno.
Na prática é a superação da dificuldade, da dor e do sofrimento, a antecipação da chegada, o orgulho por se ter conseguido. E quando se chega, pensa-se logo em partir outra vez. Cada Homem tem os seus deuses e os seus fantasmas. Há alguns, até, que acham que o deles é que é o verdadeiro. Essa discussão não é a minha. De cada árvore e de cada flor silvestre na beira do caminho recolho o cheiro da vida, bebo fresca a água que escorre da bica para a valeta e oiço o meu coração a bater de cansaço, de excitação e de saúde. E, quem sabe..., talvez encontre o meu Deus.

1 Comments:

Blogger Jonatan Israel Quadros said...

bELA IMagem e bonitas palavras... de minha parte confesso que cada vez mais encontro a presença divina em minhas caminhadas e pedais pelas serras e florestas... acho mais fácil sintonizar o que é celestial em meio a natureza e não dentro das igrejas.

Jopz

12:03  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home