domingo, outubro 05, 2014

O ATRASO É A LUTA DE CLASSES, ESTÚPIDO !

O Presidente Cavaco discursou tentando salvar a República no dia do respectivo aniversário. (disponível em breve)
Depois de apontar um conjunto de razões pelas quais os cidadãos cada vez menos confiam no Sistema Político e na própria Democracia Parlamentar, Cavaco salientou, e bem, que o método de representatividade parlamentar proporcional previsto na Constituição de 1976 pressupõe o Compromisso entre correntes ideológicas para garantir a eficácia da governação  e a satisfação dos eleitores.
Ora bem, adianto eu - que o Presidente Cavaco não foi tão longe no seu discurso -, a governabilidade  só tem sido possível desde que exista maioria absoluta no Parlamento que viabilize a aplicação à força das medidas governamentais determinadas unilateralmente por que ganhou as eleições. Que serão alteradas logo que surja outra maioria. Pelo meio fica o ziguezague governativo e o atalhar de caminho para a próxima bancarrota. 
Esta lógica de imposição sobre os outros das ideias dos maioritários que resultem da ultima eleição corresponde ao exercício, embora mitigado,  da luta de classes. Por outro lado, o exercício que os comunistas, sempre fora do poder parlamentar, fazem de pedir a demissão de qualquer governo, mesmo maioritário, um mês após a sua tomada de posse, corresponde ao exercício da Luta de Classes na sua fase de lançar o caos. 
Apela, assim e bem, o Presidente Cavaco à regra do Compromisso entre forças ideológicas diferentes para viabilizar uma governação eficaz em benefício do Povo.
Mas a regra do Compromisso é a negação da regra da Luta de Classes. Por isso toda a tralha marxista que existe embrenhada na sociedade portuguesa nunca aceitará a regra do Compromisso.
Vejam-se as reacções de Ferro Rodrigues, pelo lado dos Velhos Socialistas do Restelo. Por ele, a culpa não é do sistema, é dos últimos 3 anos em que foi Bruxelas e Washington a governar Portugal. Veja-se a reacção dos comunistas que, esses, a única coisa que querem é eleições todos os meses até ganharem, para depois transformarem isto numa Coreia do Norte. E entretanto se puderem chegar ao poder  mesmo sem ganhar eleições não farão cerimónia. Para já,  vão sabotando diariamente a economia através dos sindicatos.

Assim, a palavra-chave e o conceito fundamental em causa  não é Compromisso. É Luta-de-Classes.

Só quando a Luta-de-Classes for eliminada da nossa prática social e política, Portugal poderá aspirar a níveis de desenvolvimento análogos aos da Europa civilizada que já repudiou o marxismo há muito tempo.
Veja-se o exemplo do Metro de Lisboa, empresa pública controlada pelos comunistas, onde os sindicatos sabotam e boicotam tudo o que lhes apetece em nome da sua luta de classes. Veja-se o exemplo da Auto-Europa, onde os respectivos sindicalistas fizeram formação na Alemanha na sede do Sindicato Metalúrgico Alemão - que é apenas o Sindicato mais poderoso do Mundo - onde o Compromisso entre Trabalhadores e Administração tem feito daquela Fábrica a única a criar empregos, a aumentar a produção e a aumentar salários. Agora, comparem-se as duas empresas, percebam-se as diferenças entre Compromisso e Luta de Classes e assumam-se conclusões.

Portugal só terá alguma hipótese de Progresso e de Civilização quando  abandonar toda e qualquer prática de luta de classes.

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Lura do Grilo said...

Viu a plateia sentada na primeira fila?

É de fugir!

13:13  
Blogger carneiro said...

Feios, porcos e maus

23:04  
Anonymous agnelo said...

Bem escrito,camarada.

16:07  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home